Os acertos e avanços na gestão que levaram o TJAC ao Selo Ouro

Os acertos e avanços na gestão que levaram o TJAC ao Selo Ouro

O TJ acreano foi um dos setes tribunais estaduais a ganhar o Selo Ouro 2020. 

O Tribunal de Justiça do Acre está em comemoração pela conquista do Selo Ouro no Prêmio CNJ de Qualidade 2020. Nesta segunda-feira, 30, o corregedor-geral da Justiça, desembargador Júnior Alberto, representando o presidente, desembargador Francisco Djalma, concedeu entrevista coletiva e ressaltou que o resultado é fruto do acerto da gestão.

Anunciado na última sexta-feira, 27, o TJ acreano foi um dos setes tribunais estaduais a ganhar o Selo Ouro. O prêmio significa o reconhecimento, pelo Conselho Nacional da Justiça, pela gestão estratégica, governança, produtividade, transparência, gestão de dados e tecnologia trabalhados pela instituição, resultando na melhoria da qualidade da prestação jurisdicional.

“Os acreanos podem se orgulhar que tem um tribunal eficiente, produtivo, racional na aplicação de recursos e que presta serviço de qualidade. Temos alguns pontos fracos, mas vamos trabalhar para melhorá-los”, disse o corregedor, destacando que a diferença de pontuação foi mínima (15%) entre o TJAC e os três tribunais que ganharam o Selo Diamante (TJDFT, TJRR e TJRO).

Todos os 91 tribunais brasileiros participaram do Prêmio CNJ de Qualidade, incluindo os tribunais superiores. A premiação foi criada em 2019, em substituição ao antigo Selo Justiça em Números, implementado desde 2013.

Na oportunidade, o desembargador-corregedor destacou o desafio de algumas atividades como, por exemplo, a atualização das tabelas processuais no sistema Datajud. Essa atualização foi possível para fazer o levantamento da contabilidade e remessas da produtividade e movimentações processuais ao CNJ.

“Se não tivéssemos feito esse procedimento de modernização, teríamos perdido muitos pontos. Tivemos problemas grandes nessa implementação, mas é natural porque toda mudança de sistema traz algum percalço. Todas as questões foram superadas”, acrescentou.

Ao finalizar, o corregedor explicou que o TJAC está com mais de 60% dos cargos de juízes vagos, sendo o tribunal com menos número de juízes trabalhando em comparação com outros tribunais. “Nossos magistrados vestiram a camisa. Deram o melhor que podiam para a nossa produtividade ser uma das melhores do país”, concluiu.

O Prêmio CNJ de Qualidade para o ano de 2020, de acordo com a Portaria CNJ nº 88 de 8 de junho de 2020, apresentou avanços em relação ao ano anterior, tendo sido implementadas mudanças nos critérios de pontuação e avaliação a pedido dos tribunais. Também foi considerada a situação emergencial do país e, consequentemente, do Poder Judiciário, com o enfrentamento à pandemia da COVID-19.

Ao receber a notícia do Selo Ouro, durante o XIV Encontro Nacional do Poder Judiciário, o desembargador-presidente Francisco Djalma salientou que o prêmio é fruto do desempenho de todos aqueles que fazem o Poder Judiciário, destacando-se, neste particular, os componentes da administração.

Fonte:Ascom CGJAC



Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support